7 itens essências de EPIs


O equipamento de proteção individual é essencial para todas as funções que podem representar um risco para os trabalhadores. Portanto, é fundamental entender as indicações dos EPIs na indústria farmacêutica, principalmente se considerarmos os riscos físicos, químicos e biológicos típicos do campo.


Portanto, é importante que os profissionais e seus empregadores cumpram a legislação específica.





Qual é a importância dos EPIs?

Todas as peças devem estar equipadas com equipamento de proteção individual. De acordo com a legislação que rege o uso de EPI, o empregador é obrigado a fornecer itens de alta qualidade gratuitamente para atender a cada serviço e operar normalmente. Para que estejam em perfeitas condições, eles devem ser avaliados regularmente e um certificado de aprovação (CA) válido deve ser obtido.


Por outro lado, utilizá-los também é obrigação dos profissionais. É necessário estar ciente da importância de seu uso, pois os EPIs auxiliam na manutenção da integridade física dos trabalhadores, minimizando assim a possibilidade de exposição aos fatores de risco. Portanto, além de armazená-los ou descartá-los de maneira adequada, eles devem ser usados ​​apenas para o fim a que se destinam.


O não cumprimento da lei pode levar a consequências graves, não só relacionadas com a segurança, mas também financeiras e jurídicas. O não uso - mesmo o uso impróprio - resultará em multas, indenizações, demissão, liminares e processos judiciais.


Principais riscos na indústria farmacêutica

Nessa parte, os trabalhadores enfrentam uma série de riscos ambientais, incluindo agentes físicos, químicos e biológicos, além de situações de perigo, que aumentam a possibilidade de acidentes de trabalho. Em relação aos fatores físicos, destacam-se os seguintes pontos:


ruído;

leve;

vibração

temperatura;

umidade.

Em relação aos riscos químicos, a possibilidade de contaminação por compostos ou reagentes costuma ser destaque na indústria farmacêutica. Neste caso, pode ocorrer envenenamento por contato, inalação, absorção pela pele, etc. Da mesma forma, os agentes biológicos - microrganismos como bactérias e vírus - representam uma ameaça à saúde e segurança dos trabalhadores.


Outras medidas de segurança no segmento

Além da utilização de EPIs na indústria farmacêutica, existem outras medidas que podem ser utilizadas para melhorar a segurança dos profissionais e garantir a manutenção da sua saúde. Nesse sentido, por exemplo, os equipamentos de proteção coletiva (EPC) também são essenciais e importantes. Os principais são:


• Chuveiros de emergência e lava-olhos: Se você entrar em contato direto com produtos químicos, eles podem ser usados ​​para lavar os olhos rapidamente;


• Capela: espaço confinado para o manuseio de substâncias com alta concentração e vapores nocivos à saúde;


• Cabine de segurança biológica: semelhante a uma igreja, porém equipada com filtro HEPA para evitar que o ar seja poluído por agentes biológicos;

• Combate a Incêndio: Inclui sinalização, equipamentos de combate a incêndio, saídas de emergência e treinamento de equipe dedicada preparada com a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA).


Quais EPIs são obrigatórios nesse segmento?

O trabalhador da indústria farmacêutica deve exercer suas atividades profissionais protegido dos riscos químicos e biológicos aos quais é exposto. Para isso, alguns dos equipamentos mais utilizados são os que veremos a seguir!


1. Vestimentas de segurança

As vestimentas de segurança, como os macacões, protegem os membros inferiores, superiores, tronco e cabeça dos usuários. Devem ser preferencialmente descartáveis. É importante que essas vestimentas sejam utilizadas somente no local de trabalho.


2. Luvas de segurança

As luvas de segurança são provavelmente um dos EPIs mais importantes. Afinal, é com as mãos que os produtos químicos e os resíduos biológicos são manuseados. Devem prevenir cortes, contaminação por substâncias e queimaduras por calor ou frio. Existem modelos de PVC, de látex e também as luvas nitrílicas, entre outros materiais.


3. Óculos de segurança

Os óculos de segurança protegem os olhos do profissional contra respingos de substâncias, impactos, lesões, queimaduras ou luminosidade intensa. As lentes devem ser resistentes e se ajustar corretamente ao rosto para que não causem incômodo e atrapalhem a execução das atividades. Além disso, devem ser substituídas imediatamente se apresentarem riscos ou trincas.

4. Sapatos de segurança


Os sapatos de segurança devem ser fechados e adequados à atividade desempenhada pelo trabalhador. Existem modelos de diversos materiais, como as botas de PVC e os calçados de couro — o ideal é que esse equipamento tenha solado antiderrapante. Além disso, para algumas funções pode ser indicado o uso de sapatilhas ou pró-pés descartáveis.


5. Equipamentos de proteção respiratória

Na indústria farmacêutica, pode ser necessária a proteção respiratória, sobretudo quando há manuseio de substâncias tóxicas e contaminantes. Normalmente, os equipamentos são descartáveis, mas também há modelos reutilizáveis — é preciso observar os riscos identificados no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) para definir os respiradores mais indicados.


6. Equipamentos descartáveis

Os equipamentos descartáveis como toucas, máscaras e jalecos em TNT, não são considerados EPIs mas também, são muito importantes na indústria farmacêutica, principalmente para a proteção do produto a ser manipulado pelo usuário. Por exemplo, a máscara de TNT previne a contaminação do produto, de secreções respiratória do usuário no ambiente de trabalho. Em algumas atividades, pode ser necessário o uso de toucas ou gorros para evitar que os cabelos não entrem em contato durante o trabalho.


conheça todos os materiais e EPIS de proteção disponíveis para você aqui na Soldenge.


#segurança #proteção #coronavirus

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo