shutterstock_62011948

Epis salvam vidas e aumentam a lucratividade das empresas…
Toda a atividade profissional que um trabalhador realiza, aonde ele possa correr algum tipo de risco físico, deve ser executada com o auxílio dos Equipamentos de Proteção Individual, mais conhecidos como EPIs.
Há uma lista enorme de atividades profissionais que provocam o risco de acidente físico; maior ainda é a lista de equipamentos que tornam melhor e mais eficientes estas atividades, além dos acessórios de proteção de acidentes.
Entre os acessórios de proteção, podemos citar alguns como:  cintos de segurança, óculos, protetores auriculares, máscaras, capacetes, luvas, botas, mangotes, protetor solar, etc…
Esses acessórios garantem uma maior segurança aos trabalhadores, tornam as execuções das tarefas mais rapidas e eficientes.

Imagine, por exemplo, os riscos para quem trabalha na indústria e lida com prensas, serras, fogo, abrasivos.
E para quem lida com grandes alturas, alta tensão (Eletricidade), óleos, gás, produtos químicos, lixo tóxico, etc…

O EPI protege o trabalhador de acidentes e também a sua saúde.

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s) foram criados e aprimorados através dos anos, para proteger a saúde e a integridade física do trabalhador, com a missão de evitar as tristes consequências quando ocorrem os acidentes de trabalho. Os Epis também tem a função de proteger o profissional de prováveis doenças causadas pela exposição contínua em seu ambiente de trabalho, como gases tóxicos, eletrostática, radioatividade, altas temperaturas, entre outras. E, lembre-se que esses riscos acompanham o trabalhador durante toda a sua fase ativa.

Na verdade, a preocupação com os riscos ocupacionais dos trabalhadores de uma empresa, deve ter seu início junto com o processo de criação da mesma, para que o espaço útil seja estudado a fim de oferecer a maior segurança possível, os equipamentos e acessórios de segurança façam parte do orçamento inicial, e os cursos de segurança no trabalho estejam em dia.

Os órgãos Federais, Estaduais e Municipais criaram normas e têm tido uma participação importante na redução dos acidentes de trabalho, fiscalizando e multando aquelas empresas que ainda não estão ajustadas com as novas leis

É Fundamental que a empresa saiba quais os equipamentos de proteção individual (Epis) devem ser oferecidos aos seus funcionários.
Para isso, um estudo sobre os riscos ocupacionais deverá ser realizado, de preferência, desde o início da empresa.

Lembre-se que, prejuízos maiores poderão ser evitados. ( Saúde do trabalhador, Multas, etc…)

A importância do EPI

O uso do EPI é fundamental para a proteção dos profissionais, reduzindo os riscos de acidentes no trabalho. O uso dos equipamentos de proteção individual EPI é OBRIGATÓRIO, assim determina a norma técnica NR 6.
A norma técnica determina que os Equipamentos de Proteção Individual – EPIs sejam oferecidos DE GRAÇA ao trabalhador, para que eles possam cumprir as suas atividades com segurança e tranquilidade, podendo assim, ser mais eficientes e rápidos.

Todos devem compreender como é importante fazer uso dos equipamentos de proteção. Por isso, a empresa deve incentivar a todos, sem distinção de cargo, a fazerem os cursos de segurança no trabalho.

Isso mesmo, quanto mais seguro um trabalhador está, maior a sua eficiência e rapidez na execução. O medo com o risco de acidentar-se faz com que algumas tarefas não sejam bem executadas e sejam lentamente executadas. Então concluímos que, uma Empresa não segura, é uma empresa muito lenta e repleta de prejuízos.

Segurança = Saúde e Satisfação dos Funcionários e Famílias = Lucro para todos.

É obrigatório que as Empresas garantam aos profissionais os equipamentos de proteção individual – Epis, além de dispor de Supervisores (sim Supervisores), para que fiscalizem o uso adequado dos equipamentos de segurança, e o seu uso durante todo o expediente de trabalho. É Lei.!

Todos os equipamentos e acessórios são obrigados a ter um Certificado de Aprovação do órgão competente. Isso é a garantia que estão de acordo com as determinações do Ministério do Trabalho.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *